Eficiência Energética


O uso eficiente de energia, às vezes chamado simplesmente de eficiência energética, é o objectivo de reduzir a quantidade de energia necessária para fornecer os mesmos produtos ou serviços, com o intuito de reduzir também as emissões de carbono e equivalentes para a atmosfera.





As melhorias de eficiência energética são geralmente alcançadas pela adopção de uma tecnologia ou processo de produção mais eficiente ou pela aplicação de métodos geralmente aceites para reduzir as perdas de energia.

Por exemplo, isolar um edifício permite que ele consuma menos energia de aquecimento e arrefecimento, para alcançar e manter um conforto térmico. A instalação de lâmpadas LED ou janelas e claraboias naturais reduz a quantidade de energia necessária para atingir o mesmo nível de iluminação, comparativamente ao uso de lâmpadas incandescentes tradicionais.

Existem inúmeras motivações para aumentar os níveis de eficiência energética. A diminuição do uso de energia reduz os custos de energia. A redução do uso de energia também é vista como uma solução para o problema de minimizar as emissões de gases para o ambiente. De acordo com a Agência Internacional de Energia, a eficiência energética aprimorada em edifícios, processos industriais e transportes pode reduzir as necessidades mundiais de energia em 2050, em um terço e ajudar a controlar as emissões globais de gases para a atmosfera. Outra solução importante é remover os subsídios de energia liderados pelos governos que promovem o alto consumo de energia e o uso ineficiente de energia em mais da metade dos países do mundo.

A eficiência energética e as energias renováveis ​​são consideradas os pilares gémeos da política energética sustentável e são altas prioridades na hierarquia da energia sustentável. Em muitos países, a eficiência energética também é vista como um benefício para a segurança nacional, porque pode ser usada para reduzir o nível de importações de energia de países estrangeiros e pode diminuir a taxa de esgotamento dos recursos energéticos domésticos.

Medidas de Eficiência Energética

Os equipamentos em nossa casa, escritório, o nosso carro, a iluminação nas nossas ruas e até as centrais que produzem e distribuem a nossa energia, quer ela seja eletricidade, gás natural ou outra, consomem de alguma forma uma fonte de energia.

Edifícios energeticamente eficientes, processos industriais e de transporte, poderiam reduzir as necessidades energéticas projectadas para o mundo em 2050 em um terço, também é essencial o controle das emissões globais de gases que causam o efeito estufa, de acordo com a Agência Internacional de Energia.

A adoção de soluções ou medidas eficientemente energéticas são necessárias, por exemplo, em edifícios colocar isolamento térmico de modo a se consumir menos energia para aquecimento e arrefecimento mantendo a temperatura confortável, substituir por lâmpadas econômicas as antigas lâmpadas incandescentes, utilizar aparelhos desenvolvidos com referência a melhor eficiência, ex: refrigeradores com inverter, economizadores de energia. Redes de sensores sem fio são muitas vezes utilizados para visualizar o uso de energia em cada ponto para melhorar a eficiência, como no exemplo do Japão.



Como exemplos de medidas de poupança de energia que contribuem para uma maior eficiência energética temos:


  • Afinação dos parâmetros de queima dos geradores de calor

  • Isolamento térmico de superfícies quentes

  • Optimização das condições de funcionamento de equipamentos

  • Eliminação das fugas de fluidos quentes

  • Aproveitamento de combustíveis ou fontes de calor residuais

  • Dimensionamento correcto das instalações energéticas

  • Eliminação das fugas de ar comprimido

  • Recuperação da energia térmica em compressores de ar

  • Substituição de motores convencionais por motores de alto rendimento

  • Instalação VEVs (Variadores Eletrônicos de Velocidade)

  • Alteração da opção tarifária

  • Deslastre de cargas

  • Compensação do factor de potência

  • Optimização e controlo da iluminação

  • Melhor aproveitamento das condições de iluminação natural

  • Implementação de sistemas de gestão de energia

  • Instalação de sistemas de cogeração


Benefícios


Do ponto de vista de um consumidor de energia, a principal motivação da eficiência energética é muitas vezes simplesmente economizar dinheiro reduzindo o custo de compra de energia. Além disso, do ponto de vista da política energética, há uma longa tendência no reconhecimento mais amplo da eficiência energética como o "primeiro combustível", ou seja, a capacidade de substituir ou evitar o consumo de combustíveis reais. De facto, a Agência Internacional de Energia calculou que a aplicação de medidas de eficiência energética nos anos 1974-2010 conseguiu evitar mais consumo de energia nos seus estados-membros do que o consumo de qualquer combustível específico, incluindo petróleo, carvão e gás natural.

Além disso, há muito se reconhece que a eficiência energética traz outros benefícios adicionais à redução do consumo de energia. Algumas estimativas do valor desses outros benefícios, muitas vezes chamados de benefícios múltiplos, cobenefícios, benefícios auxiliares ou benefícios não energéticos, colocam o seu valor somado ainda mais alto do que o dos benefícios diretos de energia. Esses múltiplos benefícios da eficiência energética incluem factores como redução do impacto das mudanças climáticas, redução da poluição do ar e melhoria da saúde, melhoria das condições internas, melhoria da segurança energética e redução do risco de preço para os consumidores de energia.

Foram desenvolvidos métodos para calcular o valor monetário desses múltiplos benefícios, incluindo, por exemplo, o método de experimento de escolha para melhorias que têm um componente subjetivo (como estética ou conforto) e o método de Tuominen-Seppänen para redução de risco de preço. Quando incluído na análise, o benefício económico dos investimentos em eficiência energética pode ser significativamente maior do que simplesmente o valor da energia economizada.

Posts recentes

Ver tudo